Missão leva empresários mineiros à China

Postado em 23/02/2018 às 15:57:54

Com um PIB de USD 11,2 trilhões e uma população de 1,3 bilhões, em movimento de expansão urbana e em processo de ocidentalização, a China é hoje um mercado com oportunidades para entrada e consolidação de novas marcas. Com o objetivo de promover as exportações de Minas Gerais nesse grande mercado asiático, o INDI, Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais, realiza a 2ª Missão de Empresários Mineiros à China. A missão, que acontece entre os dias 9 e 18 de maio de 2018, foi lançada ao público nesta quinta-feira, 22/02, no 2º China Day.

No evento, em auditório do BDMG, foi apresentada a programação da missão, que contará com atividades em Hong Kong e Shanghai. A agenda inclui encontros de negócios, eventos de relacionamento, com apresentação da gastronomia do estado, e a participação nas feiras Gourmet Asia e Sial China. Grande novidade da segunda edição da missão à China, Minas Gerais contará com um estande na Sial China, maior feira de alimentos e bebidas da Ásia, onde os empresários mineiros participantes poderão expor seus produtos.

“Em virtude da estruturação da identidade da gastronomia mineira, com o programa Mais Gastronomia, estaremos com um estande próprio. Será um espaço de apresentação do produto, com degustação, com capacidade de atender ao público da feira e de atender ao público interessado em gerar negócios com os empresários”, afirma Cristiane Serpa, diretora-presidente do INDI. Na missão, o INDI trabalha junto à Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais e ao Programa Mais Gastronomia, que comporta o espaço Mineiraria.

Preparação para as empresas

O processo de urbanização em curso na China aponta para novos hábitos alimentares e para a diversificação da cesta de consumo. No setor de alimentos e bebidas, há um crescimento médio anual de 9,23% nas importações, segundo dados da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex). “Concorrer com produtos baratos e homogêneos é pouco lucrativo, o caminho é a diferenciação, construindo qualidade e identidade da marca”, diz Ricardo Ruiz, diretor e vice-presidente do INDI. Foco em nichos de mercado e adequação do produto segundo parâmetros sanitários também devem ter a atenção de empresas que desejam entrar no mercado chinês.

Para preparar os empresários mineiros, a participação na missão inclui um processo anterior e mais amplo que a agenda na China. As empresas participantes contarão com acompanhamento técnico especializado pela equipe do INDI e coaching com especialista no mercado asiático, além do desenvolvimento de materiais promocionais para divulgação. A trader da cachaça mineira Batista, Patrícia Caldas, falou sobre esse tipo de serviço oferecido também na Missão de Exportadores Mineiros à Europa, que o INDI promoveu entre 2 e 11 de outubro de 2017.

“Esse apoio oferecido foi muito importante para nós. Foi uma construção em parceria com o INDI para que estivéssemos aptos para apresentar o nosso trabalho de uma forma mais profissional, mais adequada. Exportar exige algo mais do empresário. Você tem que estar antenado, buscar o que você quer, com paciência, sabendo que cada país tem particularidades culturais e formas de fazer negócios muito diferentes. É importante traduzir essa forma cultural e se adequar à nova realidade”, afirma. A Cachaça Batista já exportou uma primeira remessa de produtos para a Alemanha, e está em contato com outras empresas do país que manifestaram interesse em fazer negócios.

Atividades e agenda

A missão se inicia no dia 8 de maio, em Hong Kong, onde será feita visita à feira Gourmet Asia. No dia 12 a delegação se desloca para Shanghai. A agenda inclui encontros de negócios personalizados nas duas etapas do projeto, visitas técnicas e eventos de relacionamento empresarial. Gabriela Cioba, gerente de negócios internacionais da Forno de Minas, esteve no 2º China Day e manifestou interesse da empresa em participar da missão.

“Eu sei que pão de queijo não é conhecido na China, mas com a abertura de mercado, com a ocidentalização, vejo muito potencial para o nosso produto. Fizemos adaptações em relação ao paladar e nova embalagem. Mas é muito importante apresentar como consumir: temos que ensinar o que é o pão de queijo, relacionar com o que o chinês gosta de consumir e mostrar como o produto vai entrar na vida do chinês”, diz Gabriela. Para aproximar as duas culturas, além das rodadas de negócio formais, a missão contará com momentos de apresentação da gastronomia, utilizando produtos apresentados nas feiras, com a participação de compradores e formadores de opinião. O INDI oferecerá ainda intérpretes e transporte para compromissos oficiais.

2ª Missão de Empresários Mineiros à China

Onde: Hong Kong e Shanghai

Quando: 9 e 18 de maio de 2018

20 vagas para empresas sediadas em Minas Gerais

Inscrições devem ser feitas até 16/03 pelo site www.minasnachina.com.br

A participação na missão é gratuita aos empresários mineiros, que devem arcar com os custos diretos de participação (passagens aéreas, acomodação, alimentação, visto e seguro viagem, entre outros).